Sondotécnica Engenharia

O Consórcio SGP e o Planejamento do Projeto do Prosub-EBN

Prosub - uma unidade industrial dentro de uma infraestrutura marítima –, que compreende diversas áreas de conhecimento, especial-mente da Engenharia, resulta um projeto único de grande complexidade.

 Partindo deste pressuposto, a Odebrecht Infraestrutura optou por contratar um consórcio, formado por três empresas especializadas em Consultoria e Projetos de Engenharia de grandes obras – a Sondotécnica, a Genpro Engenharia e a Planave, para o desenvolvimento do projeto básico e executivo do empreendimento. Com exceção do Complexo Radiológico, que está sob a responsabilidade do Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo (CTMSP), este escopo de projetos inclui: a UFEM, já concluída, os Estaleiros de Construção e de Manutenção; as Bases Norte e Sul; e, a infraestrutura de acessos e obras marítimas.
 
De acordo com o organograma do empreendimento, as atividades do Consórcio SGP no Prosub-EBN estão sob a gerência da área de Engenharia da Odebrecht Infraestrutura. As atividades do Consórcio SGP são programadas em acordo com o cronograma integrado da Odebrecht, o qual incorpora todas as áreas e atividades do empreendimento - engenharia, suprimentos, produção e montagem, sendo este cronograma estabelecido pela Odebrecht em atendimento às necessidades e solicitações da Marinha.
 
“O organograma de Planejamento de Projetos do SGP, segue o método iterativo do PDCA (planejar, executar, verificar e ajustar, do inglês (‘plan-do-check-act’) , e para seguir tal metodologia é organizado em 3 níveis: no primeiro, a Gerência/Coordenação, responsável pelo planejamento estratégico, que estabelece as prioridades das atividades, ajustando-as conforme a evolução da produção e necessidades da Odebrecht; no segundo, o Planejamento Operacional, composto por uma equipe de planejamento, com a atribuição de passar as diretrizes para as Disciplinas e controlar a evolução das atividades com a coordenação; e, o terceiro nível, que compreende as equipes de produção de documentos”.
 
Também são de responsabilidade da equipe de planejamento, o acompanhamento da evolução físico-financeira do contrato e a elaboração das medições, conjuntamente com a Gerência do SGP. “É importante que a equipe de planejamento atue no controle da programação físico-financeira, tanto para a programação dos recursos necessários para o cumprimento das atividades, quanto para a previsão dos resultados financeiros do consórcio”, comenta Paulo Sérgio.
 
A execução das diferentes etapas da obra, com diferentes períodos de preparação e picos de desenvolvimento, resulta oscilações no volume de trabalho, e consequen-temente, na composição das equipes do projeto. Nesse contexto, a função do Planejamento é justa-mente buscar alternativas para atendimento a todas as áreas, o que implica a manutenção de um número de integrantes fixos e eventuais contratações, evitando-se nesta relação, o inchamento ou a ociosidade das equipes.
 
“A mobilização ou desmobilização de uma determinada equipe é decorrente da necessidade do projeto e da obra. Por esta razão, procuramos manter um grupo coeso, com atribuições diversas, de modo que a cada etapa, tenhamos condições de avançar com o desenvolvimento do projeto sem prejuízo para as demais áreas do cronograma integrado, ou seja, do planejamento estratégico do empreendimento”, expõe Mauricio Ubeda, Supervisor de Planejamento do Consorcio SGP.
 
A equipe de Planejamento é composta por 7 integrantes: o Coordenador Maurício Ubeda, responsável pela coordenação da equipe e interface do cronograma integrado da Odebrecht com o Consórcio; Pedro Rodrigues que apóia a Coordenação na estruturação do Planejamento; e, Marcelino Machado, Renato Uchoa e Luis Fernandes, responsáveis pela parte operacional do planejamento, que atuam conjuntamente com as disciplinas; Bruno Pires e Mariana Alegria, no acompanhamento da parte de Controle e Medições e novas modificações de projeto.
 
Segundo Maurício Ubeda, a grande responsabilidade desta equipe é assegurar o desenvolvimento dos projetos em cada disciplina, de modo que a elaboração e a entrega dos documentos possam ser realizadas no prazo previsto pelo cliente. “O cumprimento do cronograma de projeto é fundamental para que as áreas do Suprimento e de Produção da obra possam preparar as suas respectivas atividades com a antecedência necessária para a execução da obra e, principalmente, com a otimização de custos, de prazos e de qualidade.”
 
O Estaleiro de Construção, que reúne um conjunto de prédios, de diferentes portes e finalidades, construídos simultaneamente, é a atual prioridade do cronograma integrado. No atual estágio desta área, o projeto da infraestrutura predial está desenvolvido, 60% do projeto da área industrial, incluindo elétrica, instrumentação e demais disciplinas.
 
O projeto executivo do prédio principal do Estaleiro e das oficinas está em fase adiantada de desenvolvimento e a definição de algumas áreas, especialmente aquelas que irão abrigar os equipamentos para a fabricação dos submarinos, depende de informações e dados fornecidos pela área de Suprimento da Odebrecht, responsável pela aquisição dos itens. “A conclusão desta fase de projeto é possível quando temos, em mãos, as especificações e os desenhos do fabricante”, explica Maurício Ubeda. “Este é um processo extenso porque todos os projetos do empreen-dimento são elaborados em atendimento às necessidades da Odebrecht e da Marinha, que recebem da DCNS os requisitos e referências básicas para a construção das instalações, assim como para os principais equipamentos do Prosub-EBN.”
 
TECHNO News – Outubro/2013